Ensimesmado

Ensimesmado

On Dezembro 6, 2016, Posted by , In Felicidade, By ,, , With No Comments

Por Arno Duarte

Contou-me um amigo, na casa dos 35 anos, que estava sem rumo na vida, já não tinha certeza de suas certezas, repensava seu passado e não enxergava o futuro. Aliás, seu futuro, em teoria, era tão concreto e rígido, que só em falar a respeito, se partia em pedaços. Era um futuro forjado de expectativas passadas, feito de material não renovável. A vida é maleável, se transforma constantemente, e o futuro será o que queremos que seja.

Construímos o futuro com base em nossos aprendizados e experiências do passado. Quanto mais coisas agregamos em nossa bagagem, mais elementos carregamos para a construção do caminho que vem. Crenças, histórias, sentimentos, decepções, mal-entendidos, histórias não contadas, tudo isso vai moldando nossas escolhas e direcionando quem queremos nos tornar.

O futuro do meu amigo era concreto nas palavras. Sabia onde queria chegar, o que queria fazer, com quem queria trabalhar, o que queria vestir. Mas esqueceu-se de checar neste futuro quem ele queria ser, o que gostaria de sentir, que nível de relações construiria com as pessoas.

De pouco adianta vislumbrar um caminho com base no que fomos. É preciso avaliar constantemente o que sou hoje, como me sinto no agora, que presente é este que estou vivendo, se estou pleno de mim mesmo, se sou neste instante aquele cara que eu admiro. Algo me falta? O mundo sabe quem eu sou? Eu tenho receio que descubram alguma coisa da qual eu me envergonho?

Na estrada dos tijolos amarelos, o desafio principal é conectar com o que faz de você quem você é. Identificar o que não te permite ser o seu melhor, e assumir coragem para fazer o que te faz bem, colocar o mundo no seu devido lugar e girar a roda no seu ritmo. É não nadar contra a corrente, mas deixar-se levar pela correnteza, aceitando o fluxo da vida e navegando na tua essência.

Do contrário, o esforço para ser diferente, mudar-se para ser aceito, só te levará a uma busca sem fim, frustrante e de culpa. A resposta, por mais batido que seja o ditado, está dentro de você. Conte ao mundo a sua história, orgulhe-se de quem você foi, do que você é, aliás, todos já enxergam isso. Querer esconder é inútil.

Seja transparente, não seja semente, seja flor. Aproveite os raios do sol, as gotas do orvalho, saia de baixo da terra e deixe-se ser visto. A vida é mais bela na fragilidade, e também nos conflitos, nos confrontos e na resolução deles. A vida é para ser vivida e não guardada para si, emsimesmado.


Artigo publicado na revista About Shoes, em novembro de 2016:


ARNO DUARTE é coach, mentor e consultor organizacional na Favoo Desenvolvimento Humano, além de co-fundador do movimento Geração Mais Amor e do programa Hands On Experiences. Adora o que faz, mas não deixa de se aventurar em peças de teatro, videoclipes, música, fotografia, meditação ou em qualquer coisa que estimule expressão e criatividade. Acredita que o sentido da vida é amar e se divide entre projetos pessoais e profissionais buscando a felicidade autêntica nas 30 horas do seu dia.

Curta e compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *